sábado, 21 de novembro de 2020

Centro cultural reaproveita andaimes, pedras e bambu na construção

Olhando de fora ninguém diz, mas o centro comunitário cultural da foto acima revela um lado feio do Vietnã. O lado que explora seus recursos naturais por meio da mineração ilegal de rochas. Mas, o escritório de arquitetura H&P mostrou que é possível dar nova vida e beleza aproveitando parte das rochas que são descartadas. O projeto confirma que tudo pode ser aproveitado sem deixar de lado a estética.

Apelidado de S Space (S = Salve a Pedra e Andaimes), o centro foi construído com o reaproveitamento de tubos de aço de andaimes, partes de rochas que foram descartadas e detritos de rocha. Tudo foi encontrado em aldeias do entorno e locais de construção.

O projeto está localizado em uma área urbana emergente na cidade de Dong Van, na província de Ha Nam. É, segundo o escritório, um espaço aberto para a comunidade, com foco em aspectos culturais e artísticos. A inspiração do design vem da paradisíaca Kem Trong – localizada na fronteira entre as duas províncias de Ha Nam e Ninh Binh – o lugar possui montanhas, árvores e rios, apesar da mineração ilegal estar gradualmente transformando a paisagem natural.

Não à toa, a vegetação tem destaque no espaço, que ajuda a regular o microclima e criar cenários – aproximando as pessoas da natureza. Além dos resíduos da construção civil, outros materiais são agregados. No telhado, por exemplo, são usados tubos de aço e varas de bambu (também aplicadas no piso), que fornecem uma estrutura ao mesmo tempo estável, mas de aparência leve.

A inspiração na paisagem montanhosa resultou ainda em uma série de paredes de pedra em ziguezague. Por fim, uma piscina exterior ajuda a tornar o local mais refrescante. Para os responsáveis, o projeto ajuda a aumentar a conscientização de que a “arquitetura é responsável pelo ambiente natural e sociocultural”.

Para conferir mais imagens, Vale o Clique!

Via Ciclo Vivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.