quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Projeto ensina bioconstrução para mulheres

Segundo os dados do Global Media Report, em 2014, 330 milhões de famílias estavam financeiramente ameaçadas pelos custos de habitação e esse número poderia aumentar para 440 milhões até 2025. Esses dados não apenas se confirmaram, como o aumento do número de famílias ameaçadas pode ser muito maior, com a crise desencadeada pela COVID-19.  Atualmente essa situação se agravou, de acordo com o levantamento nacional, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em março de 2020, quando a pandemia estava apenas começando, já eram mais de 221.000 pessoas em situação de rua. 

Para ajudar a mudar este cenário, o Instituto Empodera, entidade da sociedade civil que busca a integração social de mulheres, redes e comunidades, se uniu à Casa Terra, organização que visa disseminar o conhecimento ambiental na área de construção civil, e desenvolveu o projeto “Casa Empodera”, com apoio da organização filantrópica Flex Foundation. 

De acordo com Raquel, articuladora do Instituto Empodera, o projeto “Casa Empodera” surgiu com a necessidade da construção de uma casa de artes para as indígenas da Aldeia Guyra Pepó, situada em Tapiraí, interior de São Paulo.

“Pensamos que ao invés de contratar alguém para fazer a casa de artes, poderíamos desenvolver um curso para que mulheres pudessem aprender o processo de bioconstrução, o que proporcionará não somente a construção da casa de artes da aldeia, mas também se tornará uma poderosa ferramenta no âmbito da habitação para essas mulheres”, conta Raquel Barros, articuladora do Instituto Empodera.

O engenheiro civil, bioconstrutor e sócio da Casa Terra, Mateus Gambaro, trabalha desde 2018 com pesquisas na área de construção de casas com elementos naturais. Para ele, a bioconstrução favorece não apenas a população, mas também o meio ambiente, já que o cimento, por exemplo, emite toneladas de dióxido de carbono para a sua produção e poderíamos utilizar a terra em seu lugar, pois muitas vezes ela se assemelha à qualidade estrutural de impermeabilização do cimento.

Vale apena conferir como esse projeto tem funcionado! 


VIA ARCHDAILY
_________________________________
Editora: Maria Karolina Milhomens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.