quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Potência solar: Usinas de energia renovável vistas de cima


As previsões para o futuro são alarmantes. Pelo menos é o que nos mostra o relatório do IPCC 2021, Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (órgão da ONU) recentemente publicado. Segundo o documento, as mudanças climáticas causadas pelos seres humanos são irrefutáveis e irão se agravar nas próximas décadas se não houver esforços para modificar a situação, afirmando que o aquecimento de 1,5ºC a 2ºC será ultrapassado em um futuro muito próximo.

Segundo o Secretário-Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, o relatório representa “um código vermelho para a humanidade” soando, principalmente, como uma sentença de morte para os combustíveis fósseis. Nesse sentido, as esperanças voltam-se para as energias renováveis, sobretudo solar e eólica, indicando um aumento dos investimentos para que a geração deste tipo de energia seja multiplicada no decorrer das próximas décadas. 



Ao encontro desse futuro mais sustentável, grandes empreendimentos espalhados pelo mundo têm materializado o potencial da produção de energia solar em larga escala. Essas usinas termo solares de grande porte apresentam um sistema que difere do método tradicional que converte a luz solar diretamente em energia elétrica por meio dos painéis fotovoltaicos. Nelas, a energia térmica do sol é usada para aquecer o sal fundido usado para aquecer a água que, por sua vez, como vapor sob pressão, gira um gerador de energia elétrica. Uma das principais vantagens da estratégia é o fato de ela permite que a usina funcione mesmo no período noturno, ou seja, sem incidência de luz solar, visto que o sal fundido retém o calor solar melhor do que a água, esfria mais lentamente, funcionando como uma bateria térmica.


Localizadas em pontos estratégicos do globo terrestre, onde o sol predomina em 90% do ano, suas extensões podem atingir quilômetros quadrados, possibilitando o abastecimento de mais de 100 mil residências. E não apenas seus dados e tecnologia impressionam, essas usinas também criam fascinantes composições geométricas implementadas em meio a paisagens desérticas. Alguns exemplos são: Usina Noor, Ouarzazate, Marrocos; Gemasolar Solar Concentrator, Sevilha, Espanha; Ivanpah Solar Electric Generating System, Califórnia, EUA .

Para saber mais, Confira!

 



 Via: ArchDaily
__________________________________________
 Editora: Carolina Tomazoni Siniscarchio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.