domingo, 17 de outubro de 2021

Eu profissional, por que preciso estar na obra?

[...] NÓS, como profissionais, temos a obrigação de passar confiança para os clientes e mostrar que é possível executar obras com organização e prazos cumpridos.

Geralmente é o próprio profissional, que tem medo do canteiro de obras e de colocar a mão na massa, que acaba reclamando que o seu projeto é modificado sem autorização quando vai pra obra. A maioria das pessoas comentam com a gente que preferem não se envolver com obra por inúmeros motivos.

“Mas eu tenho medo!”

“O cliente só me ama até eu fazer o projeto, quando eu vou pra obra ele começa a me odiar…”

“Eu gosto de projetar, não preciso saber de obra”

Por isso a pergunta, vale mesmo a pena se envolver em obra?  [...]


Conhecimento técnico e experiência

A primeira coisa é: “Ninguém pode desenhar aquilo que não sabe como se faz!”, como já dizia João Filgueiras Lima, conhecido como Lelé, que foi um grande arquiteto idealizador da rede Sarah de hospitais.

O ganho de experiência, embasamento técnico e vivência dos projetos, é na obra! Ninguém nasce sabendo, eu sei disso… Mas quando você quer alguma coisa, é preciso correr atrás. Tem que meter as caras. [...] O estranho é que na faculdade de arquitetura a gente estuda muito sobre obra, mas a gente não aprende a executá-las.


O mundo das obras

Quando nós começamos no mundo das obras entendemos que existem desafios lá dentro, mas que tudo é possível com planejamento. Saiba diferenciar imprevistos de falta de planejamento.

Uma coisa é a sua obra parar por um dilúvio, tornado, greve dos caminhoneiros, teve acidente na pista e o caminhão de material não conseguiu chegar… Isso é imprevisto. O resto TODO é falta de planejamento!

Uma das coisas que fazemos durante o planejamento e que nos ajuda a evitar muito do que se chama de imprevisto é compatibilizar os projetos e estudar todos eles antes de começar a obra.

Confiram a matéria completa. Vale o Clique!



Via Bora na Obra
_____________________
Editora: Naely

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.