terça-feira, 4 de agosto de 2020

Arquitetos projetam vila para solucionar crise de habitação na África

A Tanzânia sofre com a falta de moradias populares de boa qualidade: o déficit habitacional é de 3 milhões e a demanda anual é de 200 mil unidades. Mais de 70% dos habitantes moram em casas informais. Foi essa questão em mente que a Archstorming criou um desafio em busca de um esquema acessível e de qualidade que possa ser implementado não apenas na Tanzânia, mas também em outros países africanos.

A família Jorejick, que fica perto de Karatu, será a primeira a ser ajudada. Ela é formada por 19 pessoas, das quais 15 vivem juntas em cabanas, sem água potável ou eletricidade. Eles possuem uma infraestrutura precária, ambientes úmidos e pouco higiênicos e falta de alimentos nutritivos. Por causa disso, as doenças, especialmente em crianças, são constantes.

Assinado pelos arquitetos italianos Marianna Castellari e Giovanni Checcia de Ambosio, o projeto vencedor foi pensado para ser construído usando materiais locais, implementando o processo de construção com técnicas de autoconstrução e integrando a beleza de um design simples com soluções para melhorar a ventilação cruzada, controle térmico, sombreamento e coleta de água.

Os vencedores foram anunciados no começo de julho e foram escolhido por oito jurados de países diferentes. Detalhe: um deles faz parte da família a ser beneficiada e chama-se Paulo, o filho mais velho. O concurso contou com diversas inscrições, que podem ser vistas no site da Archstorming.

Para mais detalhes, Confira!

Via Casa Abril 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.